A ORDEM DAS PÁGINAS - Conto Cruel - Anônimo Africano


A ORDEM DAS PÁGINAS
Autor anônimo africano
Tradução indireta: Paulo Soriano

Dois homens — um fulo e um bambara — compartilhavam a mesma cela. Souberam eles, por um carcereiro, que, por ordem do rei, um deles seria castrado e o outro decapitado.

O homem fulo, mais astuto do que o bambara, começou a queixar-se de imediato, dizendo que lhe doíam muito — muitíssimo — os testículos, e implorava por um alívio. Gritou tão fortemente que o carcereiro veio correndo, armado com um sabre afiado, e o desembaraçou dos objetos de sua dor. O fulo sofreu muitíssimo o resto da noite, mas no fundo estava contente por haver salvo a cabeça.

Ao seu lado, o bambara dormia profundamente.

Pela manhã, o rei os fez chamar e lhes anunciou que estavam livres.  As penas haviam sido levantadas.

O fulo se lançou a uma série de imprecações e lamentações:

— O bambara salvou a vida — gritava — e eu perdi os meus testículos!

— Não se deve ler a página cinco antes da página quatro — redarguiu-lhe o rei.


Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário