Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2021

HORROR NA ESTALAGEM - Conto Clássico de Horror - Anônimo do século XIX

Imagem
  HORROR NA ESTALAGEM Anônimo do século XIX   A campanha da Áustria, em 1809, tão gloriosa para a França, havia acabado há algumas semanas quando um mercador, natural da Hungria, que fora forçado a esperar em Viena o fim das hostilidades, se pôs a caminho para voltar ao seu país. Não foi sem hesitar que partiu, porque levava uma soma considerável, e não ignorava o quanto as perturbações da guerra são favoráveis a toda a espécie de ladrões. Contudo, fiado em sua cautela e, se preciso fosse, na velocidade do seu cavalo, sentiu desvanecer todo o receio. Quatro dias depois de ter partido de Viena, atravessou a fronteira, sem que lhe acontecesse o menor incidente. Naquele mesmo dia, à noite, chegou a uma pequena cidade e apeou-se numa estalagem do subúrbio, que supunha pouco frequentada, querendo, o quanto lhe fosse possível, evitar a companhia dos viajantes. Toda a gente de casa tinha um ar muito sisudo, e o estalajadeiro foi em pessoa tratar, prontamente, do cavalo do viajan

A SELEÇÃO - Conto Insólito - Ricardo Manzanaro

Imagem
  A SELEÇÃO Ricardo Manzanaro Tradução de Paulo Soriano Era a sua grande chance. Mas tinha medo de falhar ou de que os outros concorrentes fossem muito melhores que ela. Elena adorava cantar. E no sábado seguinte faria um teste para um programa musical de enorme sucesso. Queria ser selecionada, custasse o que custasse. Assim, procurou um bruxo, que lhe disseram que era incrível, e que operava milagres com os seus conjuros. No dia da seleção, Elena cantou maravilhosamente. Todos ficaram boquiabertos.  Então, o diretor musical tomou a mais lógica decisão possível nesse caso: contratou o bruxo.  

A LENDA DO MOSTEIRO DE ENGULPHED - Conto Clássico Fantástico - Washington Irving

Imagem
  A LENDA DO MOSTEIRO DE ENGULPHED Washington Irving (1783 – 1859) Tradução de Paulo Soriano   No sombrio e melancólico evento em que Dom Rodrigo, o Godo, e seus cavaleiros foram vencidos às margens do Guadalete, e toda a Espanha invadida pelos mouros, grande foi a devastação de igrejas e conventos em todo aquele piedoso reino. O destino milagroso de uma desses edifícios sagrados é, portanto, registrado em uma das lendas autênticas daqueles dias. No cume de uma colina, não muito distante da capital, Toledo, erguia-se um antigo mosteiro dedicado à devoção de São Bento, habitado por uma irmandade de monjas beneditinas. Nesse refúgio sagrado confinavam-se mulheres de linhagem nobre. As irmãs mais novas das famílias de mais elevada estirpe eram, aqui,   dadas   em religioso casamento   a seu Salvador, a fim de ampliar o dote de suas irmãs mais velhas, permitindo, assim, que estas fizessem convenientes alianças conjugais na terra, ou que a riqueza da família fosse dividida entre o

MACABRA DIVERSÃO (Excerto de “Os Sertões”) - Narrativa Clássica de Horror - Euclides da Cunha

Imagem
  MACABRA DIVERSÃO (Excerto de “Os Sertões”) Euclides da Cunha (1866 – 1909)   Um arsenal ao ar livre   A terceira expedição anulada, dispersa, desaparecera. E como na maioria os fugitivos evitassem a estrada, desgarraram sem rumo, errando à toa no deserto, onde muitos, entre eles os feridos, se perderam para sempre, agonizando e morrendo no absoluto abandono. Alguns, desviando-se da rota, foram bater no Cumbe ou em pontos mais remotos. O resto chegou no outro dia a Monte Santo. O coronel Sousa Meneses, comandante da praça, não os esperou. Ao saber do desastre largou à espora feita para Queimadas, até onde se prolongara aquela disparada. Enquanto isto sucedia, os sertanejos recolhiam os despojos. Pela estrada e pelos lugares próximos jaziam esparsas armas e munições, de envolta com as próprias peças dos fardamento, dólmãs e calças de listra carmesim, cujos vivos denunciadores demais no pardo da caatinga os tornavam incompatíveis com a fuga. De sorte que a maior parte da

MARIA! NÃO ME MATES, QUE SOU TUA MÃE! - Conto Clássico de Horror - Camilo Castelo Branco

Imagem
  MARIA! NÃO ME MATES, QUE SOU TUA MÃE! Meditação sobre o espantoso crime acontecido em Lisboa:  Uma filha que mata e despedaça a sua mãe. Mandada imprimir por um mendigo, que foi lançado fora de seu convento, e anda pedindo esmola pelas portas. Camilo Castelo Branco (1825 – 1890)     PAIS DE FAMÍLIA! Atendei e vereis o maior de quantos crimes se tem visto no mundo! Vereis uma filha matar a sua mãe, porque esta lhe não deixava fazer o quanto desejava. Vereis como essa filha corta a cabeça da sua mãe, e os braços, e as pernas, e vai pôr cada pedaço de corpo da sua mãe em diferentes lugares, para que ninguém conhecesse o cadáver da morta, nem a mão que a matara e despedaçara. Vereis como a matadora da sua mãe, da sua mãe, ó pais de famílias, da sua mãe que a trouxera nas entranhas, que lhe dera o alimento dos seus peitos, que a criara ao seu lado com beijos e afagos, que tirara o pão da sua boca para o dar à sua filha, que fora talvez pedir uma esmola para que a sua

UM CRIME TERRÍVEL - Quadrinho Clássico de Horror - Angelo Agostini

Imagem
  UM CRIME TERRÍVEL Angelo Agostini (1843 – 1910)     “ Um Crime Terrível ” é uma das mais antigas histórias de horror em quadrinhos publicada no Brasil. Escrita e desenhada pelo artista ítalo-brasileiro Angelo Agostini , ilustra o bárbaro assassinato da jovem Maria da Conceição pelo seu amante José Cândido de Pontes Visgueiro, desembargador do Tribunal do Comércio do Maranhão, ocorrido em 14 de agosto de 1873. O quadrinho foi publicado nas edições de 4 e 11 de outubro de 1973 da revista “O Mosquito”, do Rio de Janeiro. Quadrinho disponível em e-book. Para baixá-lo, clique AQUI .