ESPECTROS PERVERSOS - Narrativa Clássica de Terror - Augustin Calmet


ESPECTROS PERVERSOS
Augustin Calmet
(1672 – 1757)

Conta Carl Ferdinand von Schertz, em sua obra intitulada Magia Posthuma, que, numa certa aldeia, uma mulher veio a falecer após receber os santos sacramentos, havendo sido sepultada da forma habitual.

Quatro dias após o seu falecimento, os moradores do vilarejo  ouviram um grande ruído e uma extraordinária algazarra, e viram um fantasma que se manifestava tanto sob a forma de cão quanto sob a de homem, e não aparecia a apenas uma pessoa, senão a várias,  causando a estas grande aflição, apertando-lhes a garganta e comprimindo-lhes o estômago, de modo a sufocá-las. Machucava-lhes quase todo o corpo e as reduzias à extrema fraqueza para que ficassem lívidas, magras e extenuadas.  O espectro também atacava animais, e algumas vacas foram encontradas debilitadas e semimortas, às vezes amarradas entre si pelo rabo. Com seus mugidos, os animais expressavam a dor que sentiam. Viam-se cavalos vergados pelo cansaço, suando sobretudo pelo dorso, acalorados e sem fôlego, exalando espuma, como costumam fazer após uma longa e extenuante viagem.  Essas calamidades duraram vários meses.

Von Schertz narra a aparição de um pastor da aldeia de Blow, próxima à cidade boêmia de Kadam, que apareceu durante um certo tempo. O espectro chamava certas pessoas, que morriam inexoravelmente em oito dias.

Os camponeses de Blow exumaram o corpo do pastor e o fixaram no chão com uma estaca, que lhe perpassava o corpo.  No estado em que se encontrava, o homem zombava dos que lhe impingiam tal sofrimento, dizendo-lhes que eram muito gentis em lhe darem um bastão com que se  defender dos cães.

Na mesma noite, voltou a levantar-se e passou a assustar várias pessoas, e estrangulou mais gente que antes.  Depois, entregaram-no ao carrasco, que o pôs em uma carroça para conduzi-lo para fora da aldeia e atear-lhe fogo.

O cadáver uivava loucamente, agitando as mãos e os pés como se estivesse vivo. E quando o atravessaram novamente com uma estaca, saltou muito altos gritos, com o seu corpo vertendo um grande volume de sangue rubro.

Finalmente, consumiram-no no fogo e a execução deu cabo às manifestações e assombrações do espectro.


Versão em português e adaptação textual: Paulo Soriano.
Narrativa constante do Traité sur les apparitions des esprits et sur les vampires ou les revenants de Hongrie, de Moravie, etc. (Tratado sobre as aparições dos espíritos e sobre os vampiros ou redivivos da Hungria, da Morávia etc.), de 1751.


Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário