A PROTEÇÃO PELO LIVRO - Conto Sobrenatural - Anônimo Chinês


A PROTEÇÃO PELO LIVRO
Anônimo Chinês

O literato Wu, de Ch'iang Ling, havia insultado o mago Chang Ch'i Shen. Certo de que este procuraria vingar-se, Wu passou a noite acordado, lendo, à luz da lamparina, o sagrado Livro das Mutações.

De súbito, ouviu uma rajada de vento que rodeava a casa, e, à porta, surgiu um guerreiro que o ameaçou com uma lança. Wu o derrubou com o livro. Ao inclinar-se para vê-lo, notou que era apenas uma figura recortada em papel. Guardou-a entre as folhas dos livros.

Pouco depois, entraram dois pequenos espíritos malignos, de negra face, brandindo machados. Estes também, quando derrubados pelos livros, exibiram-se figuras de papel.  Wu guardou-as como a primeira. 

À meia-noite, uma mulher, chorando e gemendo, bateu à porta.

Sou a mulher de Chang - disse ela.  Meu marido e meus filhos vieram atacá-lo, e o senhor os encerrou em seu livro. Eu lhe suplico que os ponha em liberdade.

Nem seus filhos nem seu marido estão em meu livro respondeu Wu.   Só tenho estas figuras de papel. 
 Suas almas estão nas figuras acresceu a mulher.  Se, até a madrugada, não voltarem, seus corpos, que jazem em casa, não poderão recobrar a vida.

 Malditos bruxos!  gritou Wu.  Que mercê podem esperar? Não penso em pô-los em liberdade. Por piedade, devolverei apenas um de seus filhos, mas não me peça mais nada!

E entregou à mulher uma das figuras de face negra.

No dia seguinte, soube que o mago e seu filho primogênito haviam morrido durante aquela noite.

Versão em português (tradução indireta): Paulo Soriano.


Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário