GERTRUDES - Conto Insólito - Vinícius Antunes



GERTRUDES
Vinícius Antunes
(Rio de Janeiro/BR)
(Conto finalista do I Concurso Literário “Contos Grotescos” – Prêmio Edgar Allan Pöe)


Gertrudes era solitária. Não conhecia pai, não conhecia mãe. Vivia, há muito, sozinha na sua estreita residência.  Senhora comprida, maior que muito homem, se é que se pode chamá-la de senhora. Gertrudes era hermafrodita. Talvez por isso, ou pelo seu tamanho, vivesse tão só. Sua casa era úmida, escura e ela, Gertrudes, fina, branquela, feia. Diziam que a distinta senhora não tinha pingo de razão. Vivia com seus anéis e levava na cabeça algo que parecia uma coroa. A vida lhe era monótona, mas preferia não largá-la. Prendia-se a ela, grudava com tal força que alguns juravam que Gertrudes era imorrível.

Valdomiro era o proprietário da residência de Gertrudes e já não a agüentava mais em território seu. Chegara a hora do despejo. Mas quem disse que era fácil colocar a ilustre senhora pra fora? O senhor proprietário até tentou de tudo, mas dona Gertrudes, na mudez total, lhe dizia com gestos que não ia sair.

Sem a pretensão de defender o lado de Gertrudes ou o de seu Valdomiro, escrevo. Cabe ponderar os dois, ser imparcial como todo aquele que registra causa tão importante. Por um lado, Gertrudes era já idosa, fraca, desmiolada, sempre vivera ali. Por que lhe iam expulsar? Expulsar dona Gertrudes seria a morte. E não é matar o pior pecado? Por outro lado, pensemos em seu Valdomiro: a residência era sua, nunca recebeu nada, Gertrudes já estava a lhe pôr doente, vai que morre um dia. E não é matar o pior pecado?

Pois adivinhe. Prevaleceu o lado do mais forte. Foi com a ajuda de uma tal de Dona Thereza. Seu Valdomiro ingeriu paçoca de abóbora moída com açúcar refinado e logo veio a dor de barriga. Arriou foi ali mesmo, em esquina qualquer de Capuruí. Pôs-se a cagar forte, parecia que lhe iam sair os órgãos de dentro. Saiu junto com a merda, Gertrudes: branquela, fina, corpo anelado. Ainda se mexeu duas ou três vezes, até que Valdomiro lhe olhou com raiva e lhe pisou a cabeça. Foi o fim da raça da tênia.


Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário