CURIOSO TROFÉU DE NOBREZA BÁRBARA - Narrativa Clássica - Narrativa Cruel - Pálias Moxife



CURIOSO TROFÉU DE NOBREZA BÁRBARA
Pálias Moxife
(Pseudônimo de autor desconhecido do séc. XX)


A ilha de Bornéu, que pertence à Inglaterra e à Holanda[1], é a maior ilha do mundo, depois da Nova Guiné. Numa superfície de 735.000 quilômetros quadrados, abriga uma população de dois milhões de almas. Quando Fernando de Magalhães a descobriu, em 1518[2], ali já existia o bizarro costume indígena que a tradição oral vem mantendo até hoje com a simples explicação — “Adate niquite”, que quer dizer: “costume dos meus pais”.

Essa tradição consiste em se enobrecer cortando cabeças. Desde criança, o indivíduo de Bornéu, na sua gabolice infantil, a contar a importância paterna, mede-a pelo número de cabeças humanas cortadas pelos seus ancestrais.

Ali corre a seguinte lenda, entre os dajaques[3]:

Um rapaz, da alta nobreza dajaquena, amava uma donzela da mesma estirpe. Mas esta não via ainda no pretendente à sua mão atos que demonstrassem seu valor pessoal, não obstante sua aparente virilidade. Querendo o rapaz dar provas do seu valor, internou-se na floresta, trazendo de lá um grande cervo. Não bastou. Novamente se internou na mata o intrépido rapaz, trazendo dessa vez um feroz e enorme orangotango, do qual muitos heróis tinham fugido. A donzela dajaqueana não se satisfez. Queria uma cabeça humana. O rapaz, desesperado, partiu, voltando pouco depois com a cabeça de uma mulher ainda sangrando.

—Agora, sim, meu amado, és um homem! (exclamou a donzela em êxtase). Podes levar-me contigo!

A cabeça cortada era a da própria mãe da donzela, da futura sogra do herói...


Ilustração: F. Boyle.
Fonte: Careta, edição de 26 de junho de 1941.




[1] Hoje, a ilha de Bornéu integra os seguintes países independentes: Indonésia (desde 1945), Malásia (desde 1957) e o Brunei (desde a extinção do protetorado britânico em 1984).
[2] Na verdade, no ano de 1821.
[3] Ou dayaks. A etnia dayak era especialmente temida por sua antiga tradição e prática de caçadores de cabeça. 





Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário