OUTRA PARISINA - Conto Breve de Horror - Gustavo Felicíssimo



OUTRA PARISINA
Gustavo Felicíssimo

Nunca fui o que pareço agora. Cheio de horror e cólera. O céu nos meus olhos não mais se reproduz. Tenho as mãos sujas de sangue, mas não sei se a honra lavada. Tudo aconteceu quando a beijava ardentemente, e ela, um pouco sonolenta, me abraçava. E olhando em meus olhos, somente em meus olhos, imersa na volúpia, o meu nome ela não sussurra, mas do seu amante. Parecia um delírio. Pois o nome que ouvi... O nome que ouvi... Foi o nome do meu filho.

Gustavo Felicíssimo, natural de Marília/SP, é poeta, contista, cronista e editor. Reside desde 2007 em Itabuna/BA, onde dirige a premiada editora Mondrongo. É autor de vários livros, dentre eles Carta a Rubem Braga (crônicas, 2017) e Desordem (poesias, 2016).

Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário